Uma verdadeira lição de perseverança, organização e cuidado nos dá o Japão, mesmo depois da imensurável tragédia causada pelo terremoto e posterior tsunami que destruiu boa parte do nordeste do país. Alguém aí lembra da famosa estrada partida no meio, na longitudinal, e que para nós demoraria 1 ano para eles arrumarem? Pois o trecho foi todo reconstruído em 6 (!!) dias.

Japão refaz estrada 6 dias depois do terremoto

Nem venham dizer que é montagem, pois isso tem nome e sobrenome: tecnologia e competência. E organização também, pois como a ajuda pode chegar nos locais atingidos sem uma via de acesso decente? O trecho de 150 metros da rodovia ligando Naka a Tóquio já está em perfeitas confdções de rodagem, como mostram as fotos de antes e depois da tragédia:

Japão refaz estrada 6 dias depois do terremoto

Japão refaz estrada 6 dias depois do terremoto

Só penso o que aconteceria no Brasil se um terremoto fizesse um estrago desses. Com a (in)competência e inteligência das nossas autoridades, voltaríamos à era medieval, pois a nós só restariam trilhas off-road.

Informações do G1, via Formigueiros

3 comentários

  1. Murillo
    30/03/2011 às 5:55 pm [+]

    Só pense nisto se fosse no Brasil, demoraria meses e talvez anos e não dias. Aqui tem tecnologia, o que não tem é competência e organização, tem também descasos das autoridades responsáveis e desvios absurdo de verbas, e depois iriam colocar um Pedágio caro para pagar na ida e na volta. kkkkkkkkk

  2. Júlio César
    01/01/2012 às 6:03 am [+]

    Hahaha se um dia (se Deus quiser nao haverá) houver um terremoto dessas proporções aqui no Brasil, só haverá uma solução, que é pegar nossas trouxinhas e evacuar a area afetada! Iria ficar igual o Haiti, que mesmo depois de todo esse tempo do ocorrido, continua na mesma situação!

  3. vertvvertv.blogspot.com
    16/03/2012 às 1:17 pm [+]

    no japao nao havera fim do mundo pq la a tecnologia esta 100vezes mais avançada que a de qualquer outro pais, se der um terremoto igual aquele do japao aqui no brasil ja era o brasil.