Houve uma época, não muito distante, na qual era possível voar de Nova York a Paris na metade do tempo habitual, graças ao inigualável avião de passageiros Concorde. Capaz de voar a velocidades supersônicas, o Concorde marcou época, mas teve que ser aposentado devido ao seu baixo retorno financeiro e à sua defasagem tecnológica, culminando em acidentes fatais que selaram o fim de suas viagens. Mas se depender da empresa Airbus, vôos comerciais a velocidades estonteantes voltarão à rotina num futuro não tão distante assim.

Avião futurista promete ir de Paris a Tóquio em 2h30min

Batizado o projeto de ZEHT (Zero Emission Hipersonic Transport ou Transporte Hipersônico de Emissão Zero), a Airbus promete que os primeiros protótipos dele estarão voando em 2020, com os primeiros vôos comerciais agendados para 2050. Para assegurar que o projeto é viável e não se trata de um devaneio, o braço da Airbus responsável pelo ZEHT, a EADS diz que todos os materiais e tecnologias presentes em sua construção já são plenamente conhecidos e testados pela indústria aeroespacial.

Para cumprir seu obejtivo, o ZEHT precisa alcançar a estratosfera (a cerca de 32 mil metros de altitude), no qual ele fará uso de 7 turbinas: 3 iguais aos dos foguetes o levarão para a altitude desejada, enquanto as outras 4 terão a responsabilidade de impulsioná-lo a 4.800 km/h (Mach 3,9), tornando possível, assim, cobrir a distância entre Paris e Tóquio em apenas 2 horas e meia.

Por enquanto, o ZEHT está na fase de projeto e estudos iniciais, mas será muito legal ver novamente um avião comercial voar a velocidades supersônicas, ainda que saibamos que a bilhete não será nada barato. Confira abaixo um vídeo explicando o conceito do ZEHT. Enjoy!


Via Galileu

•••